+1 (604) 282-4398 | Vancouver
Universidade
20 mar 2017

Pós-graduação no Canadá

Por Carolina Bonates L. Ernesto

Quando a gente decide estudar fora do Brasil, temos que pensar em um monte de coisas, planejamento financeiro, qual país e cidade escolher, papelada do visto, exames médicos (alguns países pedem alguns exames médicos quando se vai ficar mais de 6 meses no país) mas, sem dúvida, a escolha da faculdade que você vai cursar é muito importante afinal é muito investimento financeiro e emocional para escolher errado né? É preciso pesquisar bastante as opções que existem na cidade que você quer morar e ver se tem um programa de estudos que se encaixe nos seus sonhos e planos.

Nesse post, vou contar um pouquinho da minha experiência fazendo a minha Pós-graduação na Capilano University em Vancouver, Canadá.

A Capilano University

A Capilano University é uma instituição pública e foi fundada em 1968.  Antes de 2008, a instituição era um college e depois disso que conseguiu o status de universidade (de um modo muito resumido, a diferença entre College e Universidade aqui no Canadá é que a universidade oferece mais variedades de cursos e oferece Mestrado e Doutorado).

O principal campus da Capilano fica localizado em North Vancouver (ela possui mais 2, Squamish e Sunshine Coast campus) e é cercado pela linda natureza de Vancouver. Eu moro em Downtown e levo em média 45 min pra chegar de ônibus. Na verdade preciso pegar 2 ônibus mas o trajeto é super tranquilo e a atmosfera do campus super compensa! É muito agradável. Para mim, é muito prazeroso poder estudar em um lugar rodeado de verde e que te traz calma e tranquilidade. O campus possui uma biblioteca bem grande e boa, com salas de estudos e equipada com computadores e impressoras. A CapU, como é chamada, também possui uma academia de ginástica, quadra de esportes e uma praça de alimentação que tem Subway, Tim Hortons entre outras opções para comer.

A Capilano tem mais de 11 mil estudantes matriculados por ano, sendo que 1.100 são estudantes internacionais de mais de 70 países. Eles têm focado bastante em se preparar bem para receber os alunos internacionais e por isso criaram o CIE (Centre for International Experience), um departamento específico para atendê-los. O objetivo é orientar os alunos desde da matrícula até o final do curso.  O mais legal é que percebi que eles são abertos para ajudar nas dúvidas, questionamentos e até mesmo nas reivindicações.

Um dos pontos mais válidos para mim é que a  Capilano oferece diversos serviços para os alunos que precisam de algum help, como o Writing centre (se precisar de uma ajuda nos trabalhos acadêmicos), Counselling (se o aluno precisar de algum suporte psicológico), Career Centre (ajuda o aluno a estruturar seu CV e preparar sua Cover Letter de acordo com o mercado de trabalho canadense) e Health Services (se precisar ir ao médico no campus). Acho essencial ter assistência nesse momento onde tudo é novidade para gente, não é?

Outra coisa bem legal é o mentorship!!!! Os novos alunos internacionais podem escolher um aluno veterano para dividir as experiências e lhe ajudar a se ambientar nessa nova etapa.

Estudar em universidade no Canadá

Agora vamos falar da parte que muita gente quer saber: estudar no Canadá é igual que no Brasil?

Então, estou há seis meses cursando uma pós-graduação em Business Management e a primeira coisa que tenho para dizer: NUNCA estudei tanto na minha vida! Sério!!! Estudar em uma instituição de ensino superior no Canadá envolve muitas horas de dedicação além das horas que você passa em sala de aula (as aulas duram em média 3 horas). O volume de trabalhos é imenso, são entregas de assignments semanais, muitos trabalhos em grupo (os professores adoram que a gente interaja com os coleguinhas de classe rs), quizzes surpresas, mid-term exam, final exam… agora pensa nisso tudo fazendo 4 ou 5 matérias?! É bem puxado mesmo! Ainda mais no meu caso que sou formada em Comunicação e agora estou estudando coisas que nunca estudei na vida, como por exemplo Finance Management.

O meu curso é full-time e terá a duração de 16 meses.  Full-time não quer dizer que você tem que estudar 40 horas por semana e sim significa o número de créditos que o aluno vai cursar. Isso varia de instituição para instituição, mas na CapU e na BCIT por exemplo, é preciso cursar 9 créditos por termo (cada termo dura em média 3 meses e meio) para ser considerado full-time.

Trabalhar no Canadá

É interessante para o estudante internacional que deseja trabalhar depois do curso, que ele se matricule em um programa full-time para poder ser elegível para aplicar para o PGWP (Post Graduation work permit) que vai permitir que aluno possa trabalhar depois do programa de estudos por 1 a 3 anos. Outra coisa legal é que com o Study Permit, o aluno tem permissão para trabalhar até 20h por semana durante o programa acadêmico e o meu marido recebeu o Open Work Permit , um visto de trabalho para o cônjuge que lhe permite trabalhar full-time.

Tem muitas pessoas que optam em não trabalhar durante o curso devido a demanda da faculdade, mas eu coloquei na minha cabeça que eu iria conseguir conciliar as duas coisas e resolvi arrumar um part-time job. Muita gente antes de vir pra cá fica meio receoso, não gostando muito da idéia de trabalhar em um entry-level job (Entry-level jobs são empregos que não precisam de formação) falam que não querem trabalhar fora da área de formação, e bla bla bla… um certo preconceito, mas na verdade, aqui isso não existe. Aqui trabalho é trabalho e ponto final. Óbvio que se você achar um emprego na sua área é maravilhoso, mas normalmente esses tipos de emprego são full-time e para quem está estudando, um full-time job é inviável.

Acho extremamente válido trabalhar, não importa se é um entry-level job ou não, acredito que ter a oportunidade de praticar o inglês e ter uma experiência de emprego canadense só ajuda. É grande a oferta de entry-level jobs aqui, arrumar trabalho você vai arrumar, só precisa estar com a cabeça aberta, pensar que isso é temporário e que é só o início de uma nova etapa da sua vida.

Fácil não é…. mas vale a pena!

Mas como é dar conta de tudo ao mesmo tempo? É preciso saber organizar bem o seu tempo, estipular os horários e definir prioridades nas tarefas que você tem que fazer. No meu caso, neste termo (de Janeiro até Abril 2017) eu tenho aulas na Capilano 3 dias na semana e trabalho outros 3 dias da semana. Não tem um dia que eu não tenha que estudar alguma coisa, fazer algum assignment. E ainda tem a casa e o marido que não posso deixar de lado né! #girlpower 😀

Não é mole não! É preciso dedicação, esforço e força de vontade pra dar conta de tudo, mas tudo vale a pena. Essa experiência está sendo incrível e não me arrependo nenhum segundo da minha decisão e tenho certeza que será um divisor de águas na minha vida e vai me ajudar no meu crescimento pessoal e profissional.

Intercâmbio
03 mar 2017

Balzaca in Vancouver

Por Camilla Bezerra

Na adolescência vi muitas amigas partindo para fazer intercâmbio. Esse era um universo longe da minha realidade, tão longe que eu nem tinha vontade de ir. Mais velha comecei a viajar pelo mundo, conhecer lugares incríveis e com isso a vontade de melhorar o meu inglês cresceu. Aos 30 anos, a oportunidade bateu a minha porta: tirei férias, e parti para fazer um curso de inglês e viver um mês em Vancouver! 

Não tive medos, mas tinha muita expectativa: como vai ser? vou conseguir acompanhar as aulas? e o frio, vou morrer congelada? vou saber andar pela cidade? só vou encontrar adolescentes na escola? E hoje, olhando pra trás vejo que tudo que vivi nessa imersão, superou todas as minhas (melhores) expectativas. 

As aulas na ILSC foram maravilhosas, com professores deslumbrantes e alunos de todas as idades e partes do mundo: Coréia, Japão, Taiwan, Russia, México etc. Não só melhorei o meu inglês como pude detectar o meu ponto fraco, para dar continuidade nas aulas aqui no Brasil.

Fiz muitos amigos, e ainda fui surpreendida com uma carta escrita em Português por uma Coreana no meu último dia de aula. Voltei pra casa com o coração explodindo de felicidade e muitos novos amigos!

Saindo da aula, não tem como fugir do inglês: nas lojas, restaurantes, mercado, até no médico eu tive a ‘oportunidade’ de ir e treinar o meu English rs. A gente vai se virando, falando aqui, ali e quando vê já é local.

Vivi dias frios, vi muita neve (AMO), mas não morri. Nada que umas camadas internas e um bom casaco não resolvam. Caminhar pela cidade em dias frios é gostoso demais, ver que a cidade não para porque está chovendo ou nevando é mais interessante ainda. 

Fiz muitos programas legais: Esquiei pela 1ª vez e amei, visitei parques com vistas de tirar o fôlego, andei na ponte suspensa e quase morri do coração (que aventura), fui ver o Canucks dar show no Hóquei – Go Canucks, vi Vancouver de cima no Lookout – ela é ainda mais maravilhosa, patinei no gelo – uma das minhas paixões, joguei boliche com os amigos da escola, andei em cima de um lago congelado, vi monumentos fantásticos. Acabei chegando a Seattle em uma excursão (sozinha!), cidade americana que faz divisa com o Canadá. Uma graça, um ritmo de vida diferente de Vancouver, mas que também tem seu charme. Se você estiver lá, não deixe de visita-la! 

Andar pra lá e pra cá em Vancouver, além de fácil é muito seguro. Sair do Brasil e se deparar com uma cidade onde tudo funciona é fascinante. Usei todos os meios de transportes, menos o táxi – olha que maravilha! E o melhor de tudo: fiz muita coisa a pé e voltei pra casa mal acostumada 🙁

Tudo isso não seria possível sem os 2 anjos que encontrei nessa vida: minha amiga Carol, que esta vivendo no Canadá há 6 meses, e que me recebeu maravilhosamente bem. E a Mellow que me indicou a melhor escola de idiomas de Vancouver e me acompanhou nos momentos de dúvidas antes, durante e depois que estive no Canadá. Em um mundo onde todos somos números, encontrar uma empresa que faça um trabalho com amor e que se preocupa com o seu cliente do inicio ao fim, é ter a certeza de que fiz a escolha certa! A Letícia ama o que faz, e faz com que todos se sintam acolhidos e motivados a ir além. Tente sentar com ela por 30 minutos para um café, se você conseguir ficar apenas esse tempo me liga e me ensina a tática rs…Eu não consegui deixar o papo em menos de 1h, é bom demais conversa com alguém que conhece cada canto da cidade e o que indicar para cada cliente. Aos meus anjos, o meu obrigado cheio de beijos, abraços e saudades 😀

Foram muitos momentos inesquecíveis, aprendizados e principalmente autoconhecimento. Não pense em idade, tempo bom, melhores condições, companhias… O momento ideal é sempre aquele que a coragem nos guia. Vá sem medo, você vai voltar com a bagagem cheia de histórias pra contar, a mente cheia de novas janelas e principalmente a gratidão por ter vivido um mundão de coisas maravilhosas.

Vem viver o sonho com a Mellow no Canadá!